Pintura a óleo

Pintura a óleo

 

tinta a óleo

A pintura a óleo, com certeza, é o medium mais comum hoje em dia, praticada por artistas e entusiastas de vários níveis. Isso porque a tinta permite ser manuseada de diversas formas, desde manipulações simples até as mais complexas, a tinta óleo pode oferecer ótimos resultados.

Apesar de a técnica ser comum, mesmo que usada de forma simples pela grande maioria das pessoas, a pintura a óleo data de tempos remotos e seu desenvolvimento foi lento, substituindo técnicas mais complexas como a têmpera.

Há registros desde a Idade Média sobre o uso de óleos secativos na pintura, que davam qualidades inéditas aos trabalhos artísticos. Tratados da Antiguidade também citavam o emprego do óleo em pinturas. Até então, o óleo era tido somente como parte dos ingredientes usados na têmpera e sua efetivação só veio a partir do século XV.

A tinta a óleo possibilitou a introdução de outros materiais ao espaço produtivo do artista, como a tela esticada em bastidores, que substituiu a madeira como suporte de pintura.

Claro que a técnica de pintura a óleo como a conhecemos hoje é completamente diferente dos períodos anteriores. Isso devido a vários aspectos, sendo um deles a industrialização das tintas, que antes eram fabricadas pelos próprios artistas. Novos pigmentos foram introduzidos à paleta do artista, possibilitando novas maneiras de interpretar e reproduzir o mundo.

Aplicações da tinta a óleo

Veladura

A versatilidade da tinta a óleo é tão ampla que permite, inclusive, a imitação das técnicas de sua antecessora, a têmpera. Basicamente, as cores, na maioria, compostas de pigmentos transparentes, são aplicadas em camadas finas sobre uma camada já seca, assim, como uma camada de amarelo que recebe uma camada de azul, obtém-se o verde. Essa técnica é chamada de veladura e exige um conhecimento técnico mais apurado do artista. Dessa forma, o artista chega ao seu objetivo de forma gradual e indireta.

Alla prima

Já o método direto, alla prima, proporcionam resultados e efeitos quase de imediato. A tinta pode ser usada em empasto ou fina, opaca ou transparente, para a obtenção de diferentes efeitos, tudo dependerá da intenção do artista.

Cores opacas

Há um método indireto, pelo qual o artista pode trabalhar em camadas, porém, ao invés de usar a veladura, usa-se camadas de cores opacas. Isto é, o artista aponta uma cor com um determinado valor, e quando essa estiver parcial ou completamente seca, aplica-se uma nova camada. Isso permite trabalhar com texturas, explorando os sulcos deixados pela cerda do pincel, ou até mesmo a trama da tela.
Também podemos combinar vários procedimentos diferentes, em que parte do quadro é composto pelo método alla prima e recebe retoques depois de seco. Esses retoques podem ser tanto uma veladura quanto uma camada opaca.

Gordo sobre magro

Este método é obrigatório e está mais relacionado à durabilidade da pintura que a algum efeito. A regra implica na sobreposição correta das camadas já secas, cujas as últimas camadas terão mais óleo em sua composição. Em suma, comece as primeiras camadas com tinta diluída em terebintina e, nas camadas posteriores, use mais óleo ou tinta direto do tubo.
Quando essa regra não é obedecida, as camadas de tinta menos elásticas, que estarão por cima, poderão craquelar com o tempo, isso devido ao fenômeno de encolhimento e dilatação da tela.

Entretanto, basicamente, para começar na pintura a óleo, essas são as principais características que um iniciante tem de entender, mas, somente manipulando o material para compreender seus recursos.

É claro que há um conhecimento mais profundo, como os fundamentos da pintura e do desenho e o conhecimento sobre os materiais artísticos, mas, independentemente do nível do artista, a pintura consiste em desenhar e esfregar tinta na tela com pincel. A maneira como cada artista faz isso é o que dá qualidade ao trabalho.
Como estou falando exclusivamente do processo de pintura a óleo, vou me limitar somente aos meios de aplicação da tinta a óleo, deixando de lado outros processos de composição.
O maior dilema da pintura é durante o processo, saber por onde começar, o que vem depois ou quando estará pronta.
As respostas para essas perguntas só virão com o tempo e com muita prática, pois cada artista assimila o material de um jeito e desenvolve métodos diferentes de aplicação. A teoria é muito importante, mas ela é compreendida somente com a prática.

Mistura de cores

Composição

Processo da pintura a óleo

A consistência da tinta a óleo é amanteigada, podendo ser diluída por um solvente, ou modificada por algum medium, mas, no geral, a grande maioria dos artistas, amadores ou profissionais, usam terebintina ou óleo.
Artistas experientes sabem dosar cada uma dessas substâncias a seu favor. Alguns trabalham somente com terebintina, outros com o óleo e, o mais comum, com a combinação dos dois (medium). Tudo depende da intenção do artista no momento, que pode ser chegar a determinado efeito, ou para facilitar algum processo.
O uso da terebintina, por exemplo, resulta em uma secagem mais rápida, o que possibilita a aplicação de novas camadas sem comprometer a pureza da cor.
Já a tinta modificada com o óleo, ou em sua consistência original, pode exigir um pouco mais de habilidade do artista. Ela demora mais para secar, e se a intenção do artista não é misturar as cores na própria tela, isso pode ser um inconveniente. Isso impossibilita a obtenção de cores puras, pois, as primeiras camadas se fundem nas camadas posteriores. Esse método pode ser explorado de forma positiva quando se deseja que a borda dos objetos seja suave.
Mas se o artista quiser conservar a intensidade ou o valor de uma cor em uma área da pintura, essa terá de ser aplicada diretamente à tela e trabalhada individualmente ao lado das demais cores.

Last Modified on 10/04/2017
This entry was posted in Artigos.
Bookmark this article Pintura a óleo

6 thoughts on “Pintura a óleo

  1. jesuino rocha

    De grande valia essa aula, parabéns.

    • vinicius

      Obrigado Jesuino!

  2. Edson Fernandes

    Muito rico o conteudo abordado! Muito obrigado pela preocupação e o incentivo à arte. Parabéns. .. Abraço.

  3. Marcelio

    Fico feliz por compartilhar do seu talento
    Tive um ótimo aprendizado.
    Um grande abraço aí amigão.

    • vinicius

      Que bom Marcélio, fico feliz com isso!

  4. JOSE LIRA DUTRA

    Ótimo explicação sobre a temática.
    Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *